GENTE | 4 ELOGIOS

Bolsonaro pagou R$ 915 mil por elogios de Ratinho à reforma da Previdência
Entre outras três falas, Ratinho foi pago para indagar: "Você acha que se a Previdência fosse ruim para o povo, eu estaria a favor?". Apresentadores bolsonaristas do SBT e da Record foram os mais privilegiados no pagamento de verbas publicitárias.




Reprodução

O plano de mídia entregue pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência, comandada pelo acusado de corrupção Fabio Wajngarten, ao Tribunal de Contas da União (TCU), revela que o presidente Jair Bolsonaro destinou verbas publicitárias a apresentadores de televisão com base no seu apreço por eles. O maior beneficiado foi o apresentador Ratinho, que sozinho recebeu R$ 915 mil para defender a Reforma da Previdência por 4 vezes em seu programa, no SBT.

Segundo reportagem da Folha, o plano mostra que nove apresentadores foram contatados, mas Bolsonaro escolheu os que mais gostava e Ratinho foi agraciado com a maior quantia. Entre os quatro elogios negociados entre a Secom e o apresentador estão “as mudanças são claras e boas para o Brasil” e “você acha que se a Previdência fosse ruim para o povo, eu estaria a favor?”. Além disso, Ratinho foi um aliado fiel do governo, convidando em seu programas figuras ligadas ao Planalto em momentos de crise.

O montante recebido pelo apresentador é bem maior que o de outros colegas de profissão como Eliana, também do SBT, que recebeu R$ 269 mil por um elogio, Otávio Mesquita, da mesma emissora, que recebeu R$ 218 mil por três comentários.

O programa Hoje em Dia, da Record, foi o campeão em verbas, com R$ 983 mil por cinco inserções, mas ele é apresentado por dois apresentadores – César Filho e Ana Hickman. A dupla ainda cobrou um cachê individual de R$ 34 mil cada.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM