MAIS NOTÍCIAS

Banco do Brasil confirma adesão de 5.533 funcionários ao programa de desligamento
A opção pela demissão voluntária foi apresentada em janeiro, dentro de um projeto de reestruturação do banco.




COFEMAC/Arquivo

O Banco do Brasil confirmou, nesta segunda-feira (8/2), que 5.533 funcionários aderiram ao programa de demissão voluntária. Desse total, 4.093 (74%) deixaram a instituição financeira para se aposentarem.

O BB divulgou comunicado ao mercado no qual informou que foram validados os cortes após o fim das etapas de manifestação de interesse na demissão voluntária.

 
A instituição financeira anunciou, no dia 11 de janeiro, dois programas para reduzir o volume de empregados. O resultado do Programa de Adequação de Quadros (PAQ) e do Programa de Desligamento Extraordinário (PDE) saiu dentro da estimativa, já que a expectativa era de cortar pelo menos 5 mil funcionários.

Quando divulgou que faria os desligamentos, o Banco do Brasil disse que o objetivo é “otimizar a distribuição da força de trabalho, equacionando as situações de vagas e excessos nas unidades do banco”.

Outros 5% dos ex-funcionários podem aderir à aposentadoria em até 3 anos, segundo o BB. “O Banco do Brasil inclui nas verbas rescisórias o valor referente ao pagamento das contribuições patronais para Cassi e Previ por esse período”, pontuou, via assessoria.

Greve

A iniciativa de desligar aproximadamente 5 mil empregados encontrou resistência nos sindicatos que representam os bancários.

 
Uma paralisação nacional ocorreu no dia 29 de janeiro em protesto às medidas de reestruturação anunciadas pelo Banco do Brasil. Além do desligamento dos funcionários, o banco prevê fechar 112 agências.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



MAIS NOTÍCIAS  |   22/04/2021 08h34





MAIS NOTÍCIAS  |   22/04/2021 06h08


MAIS NOTÍCIAS  |   20/04/2021 15h30