GENTE

Mãe de Luciano Hang morre por complicações da covid-19
Regina Hang tinha 82 anos e estava na UTI do hospital Sancta Maggiore, em São Paulo. Apoiador de Bolsonaro, o empresário da Havan defende o uso de hidroxicloroquina e ivermectina, medicamentos sem eficácia científica comprovada contra o coronavírus.




Reprodução

Nesta última quarta-feira (3/2), morreu Regina Modesti Hang, de 82 anos, mãe de Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, em decorrência de complicações causadas pela covid-19. No fim de dezembro, ela deu entrada num hospital da rede Prevent Sênior, em São Paulo, já com 95% dos pulmões afetados, e estava internada desde então.

No hospital, Regina precisou ser intubada e, com o agravamento do quadro respiratório, foi submetida a uma traqueostomia. Ela, porém, não resistiu a um infecção generalizada e faleceu.

 
O filho, de 58 anos, não se manifestou publicamente sobre a morte da mãe. Por meio de nota, a assessoria do empresário ressaltou que Regina sempre esteve ao lado de Luciano nos momentos mais importantes dos quase 35 anos de história da Havan. “Era nossa ‘cliente número 1’”, disseram.
 

A dor desta grande perda não é sentida apenas pela família Hang, mas dividida entre a grande família Havan. Dona Regina ficará marcada por sua simplicidade e generosidade, na memória e no coração dos que passaram por sua vida”, finaliza o texto.

Dona Regina deixa dois filhos, João Luiz e Luciano, noras, netos e bisnetos. A celebração de despedida será em família.

Luciano também foi infectado

O empresário, a mulher, Andrea, e os três filhos também se contaminaram com a covid-19. Em janeiro, Luciano e Andrea precisaram ser internados na unidade Dubai do Hospital Sancta Maggiore, no bairro do Morumbi, na capital paulista. 

 
Hang é um dos mais notáveis apoiadores do presidente Jair Bolsonaro. Há meses ele defende o uso de medicamentos como hidroxicloroquina e ivermectina contra o novo coronavírus — mesmo com estudos científicos apontando que os remédios não têm eficácia contra a covid-19.

O empresário defende o uso das drogas como "tratamento precoce", algo que também não tem eficácia comprovada pela ciência.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM






GENTE  |   21/04/2021 13h38


GENTE  |   21/04/2021 05h28

Cajazeiras - PB