COVID-19 | PANDEMIA DO NOVO CORONAVÍRUS

Vacina da Pfizer é a 1ª a ter uso emergencial aprovado pela OMS
Aprovação facilitará o uso do imunizante em países que ainda não o validaram, informou a entidade em nota




Reuters/Reprodução

A Organização Mundial de Saúde (OMS) informou nesta quinta-feira (31) que concedeu aprovação emergencial à vacina desenvolvida pelos laboratórios Pfizer e BioNTech contra a Covid-19. 

É o primeiro dos imunizantes desenvolvidos contra o novo coronavírus a receber a aprovação da entidade; os demais também estão sendo avaliadas.

 
A inclusão do imunizante na lista de tratamentos emergenciais aprovados pela OMS serve como referência para que as autoridades regulatórias de cada país – como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), no Brasil – possam considerar e elaborar as suas próprias aprovações. 

Entrar para a lista da OMS também passa a permitir que o novo medicamento seja adquirido e distribuído pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e pela Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), para ser usado em países onde estas entidades atuam. 

A aprovação emergencial foi dada ao produto da Pfizer e da BioNTech após análises feitas tanto por cientistas da OMS quanto por parceiros independentes, que concluíram que a vacina é eficiente.
 

A revisão concluiu que a vacina cumpre os critérios essenciais de segurança e eficácia exigidos pela OMS, e que os benefícios de usar a vacina para combater a Covid-19 superam os potenciais riscos”, afirmou a entidade, em comunicado. 

O Reino Unido tornou-se o primeiro país do mundo a aprovar a vacina Pfizer-BioNTech e já está fazendo a aplicação em sua população desde 8 de dezembro. 

Uso emergencial

A lista de usos emergenciais da OMS é formada por novos remédios, vacinas e diagnósticos que precisam de aprovação rápida durante crises de saúde pública, sem deixar de passar pelos critérios de qualidade exigidos pelos protocolos da entidade.
 

A OMS e seus parceiros estão trabalhando dia e noite para avaliar outras vacinas que tenham atingido os padrões de eficácia e segurança”, disse Mariângela Simão, diretora-geral-assistente da OMS para acesso a medicamentos e produtos de saúde.

 
“Nós encorajamos mais desenvolvedores a se apresentarem para os processos de revisão e avaliação. É vitalmente importante que possamos assegurar a crítica oferta necessária para servir todos os países do mundo e eliminar a pandemia”, disse ela. 




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM