POLÍTICA | ELEIÇÕES 2020

Juíza multa José Aldemir em R$ 20 mil por aglomeração
O gestor que é médico desconsiderou, segundo a juíza, as recomendações do Ministério da Saúde e os decretos locais de combate a proliferação do coronavírus.




Fábio Barbosa / COFEMAC

Após descumprir determinação judicial em que proibia a realização de eventos com aglomeração durante a campanha eleitoral em virtude da pandemia do novo Coronavírus, o prefeito de Cajazeiras reeleito, José Aldemir, foi condenado ao pagamento de uma multa no valor de R$ 20 mil em decisão proferida pela juíza Dayse Maria Pinheiro Mota.

 
O gestor que é médico desconsiderou as recomendações do Ministério da Saúde e os decretos locais de combate a proliferação do vírus. “Salienta-se, que o representado por ser médico, tem a obrigação de zelar pela saúde pública e não participar de qualquer tipo de manifestação que ponha em risco a saúde das pessoas ou estimule a aglomeração, quer seja em ambiente fechado ou aberto”, considerou a magistrada.

A juíza ao determinar a condenação argumentou ser "lamentável que o segundo representado, na qualidade de Prefeito do Município de Cajazeiras, sendo profissional da área da saúde, pois como é do conhecimento público que é médico, não obedeça rigorosamente os protocolos sanitários recomendados como instrumento de prevenção contra a Covid-19, doença grave e às vezes letal, ainda, mais quando não existe medicação testada cientificamente para a cura, nem tampouco previsão de disponibilidade de vacina para imunizar a população”, ressaltou.

De acordo com a ação, no dia 04 de novembro, quando ainda candidato, Zé Aldemir promoveu um evento na AABB, gerando aglomeração com mais de 6.300 pessoas.

 
Ele foi reeleito, prefeito de Cajazeiras (PP) para os próximos quatro anos com 48,08% dos votos. Foram 16.416 votos no total.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



POLÍTICA  |   29/12/2020 17h53

Cajazeiras - PB
 




POLÍTICA  |   18/12/2020 09h30

Cajazeiras - PB
 

POLÍTICA  |   16/12/2020 15h39

Cajazeiras - PB