GERAL | Porta dos Fundos

Filme da Netflix com 'Jesus gay' revolta religiosos
ASSISTA TRAILER




Reprodução/Netflix

Mais um especial de Natal do grupo Porta dos Fundos gera polêmica. Agora, o filme A Primeira Tentação de Cristo, que já está disponível no serviço de streaming Netflix e tem duração de 46 minutos, está criando um revés para a plataforma norte-americana. Grupos e membros de ultradireita e religiosos estão se manifestando contra a produção do humorístico.

Entre eles as manifestações, está a do deputado federal Marco Feliciano, que usou sua conta oficial na rede social Twitter para falar sobre o filme. “Cristãos e não cristãos me cobram atuação contra os irresponsáveis do Porta dos Fundos. Em anos anteriores, já os processei, mas a ‘Justiça’ diz que é liberdade de expressão. Está na hora de uma ação conjunta das igrejas e pessoas de bem para dar um basta nisso. Unidos somos fortes!”.

O ator Carlos Vereza, membro do Espiritismo, também se manifestou por meio de redes sociais. “Porta dos Fundos. Vocês são lamentáveis como viventes. Embora Jesus não precise de defesa, principalmente a minha, vocês imaginam que podem debochar, não do Mestre, que é perdão antecipado, mas do maior país católico do planeta e dos que creem num Ser que modificou a história, antes e depois Dele”, disse o ator.

E continuou: “Vocês são safos, descolados, sub imitação dos filmes trash-refuse-pornô, supostos pós-modernos num país em eterno subdesenvolvimento. Idiotas pretensiosos, estafetas da Nova Ordem Mundial, que têm como pauta, desde a Escola de Frankfurt, a desconstrução da família e da religião. Nada de novo no front: fazer paródia de Jesus gay e de esquerda, talvez para sublimar desejos e inclinações mal resolvidas”.

O pastor sênior da Igreja Cristã da Aliança, em Niterói (RJ), Renato Vargens, também se manifestou. Por meio de entrevista ao portal Pleno News, ele falou: “O grupo composto por esquerdistas adora falar em tolerância, contudo, são os primeiros a destilarem ódio e zombaria para com os cristãos. Senão bastasse isso, essa companhia de humor tem cometido repetidamente crime de vilipêndio a fé, previsto no Artigo 208 do código penal. Portanto, diante o desrespeito para com a religião alheia, espero que o Ministério Público se posicione contra esses senhores”.
 



Confira o vídeo:






COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM