PARAÍBA

Estudo aponta redução no número de casos de covid-19 na PB
Outro dado positivo apontado pelo estudo é a ampliação de pacientes recuperados, chegando a 2.358 (371 a mais que a semana anterior).




Reprodução

Um estudo sobre análises e estatísticas do Laboratório de Inteligência Artificial e Macroeconomia Computacional (LABIMEC), da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), divulgado neste sábado (13), relativo aos efeitos e avanço da covid-19 no Estado, apontam uma redução significativa no número de noticiações de casos do novo coronavírus, ao mesmo tempo em que o número de pacientes recuperados aumenta consideravelmente.

Segundo o levantamento, na semana epidemiológica que teve inicio no último dia 11 de junho à 18 deste mês, quando comparado ao divulgado na semana epidemiológica de 04 à 11 de junho, observa-se 6.390 notificações de casos confirmados (1.401‬ a menos), apresentado uma variação de 25,2%.

Outro dado positivo apontado pelo estudo é a ampliação de pacientes recuperados, chegando a 2.358 (371 a mais que a semana anterior).

Óbitos

A mortalidade manteve-se no mesmo patamar no decorrer da semana. Nela, a Paraíba apresentou 2,2% de mortalidade, ante aos mesmos 2,2% dessa semana. Os recuperados representavam 22,2%, aumentando para 25,1% essa semana.

VEJA MAIS DETALHES: paraiba-covid-19.herokuapp.com/

 
Nos municípios

Na Paraíba, dos seus 223 municípios, 216 já registraram pelo menos 1 caso do novo coronavírus, o que representa 96,9% do Estado. Em relação a semana passada, 7 novos municípios notificaram casos da covid-19, apenas 7 municípios ainda não registraram casos de coronavírus. As cidades com maior número de casos são: João Pessoa (8.984), Campina Grande (4.783), Cabedelo (1.476), Guarariba (1.396), Santa Rita (1.006) e Patos (850) – essas que representam 58,2% dos casos da Paraíba.

Análise Perfil dos Óbitos

Um perfil foi construído a partir dos dados dos óbitos do coronavírus no Estado para o dia 18 de Junho e, a partir dele, foi possível verificar que 68,6% das vítimas tinham mais de 60 anos e 71,8% tinham pelo menos comorbidade. As vítimas estão distribuída em 40,3% mulheres e 59,7% em homens. A média de idade foi 67 anos, maior que semana passada.

Dentre as comorbidades mais comuns, destacam-se, em ordem decrescente: diabetes (34%), hipertensão (31%), cardíacos (20,5%), obesidade (6,7%), doenças neurológicas (6%), fumantes (3%) e neoplasias malignas (2,3%). O tempo médio de início de sintomas até o óbito ficou em 12 dias, dentro do observado em outros países.

Até a data de análise, morreram 6 profissionais de saúde no Estado, 5 em João Pessoa e 1 em Patos. Adicionamos informação do local do óbito, sendo que, 88,3% deles ocorreram em hospitais públicos, 7,2% em hospitais privados, 3,8% em sua residência e 0,8% não foram informados. Ressaltamos que a análise dos locais de óbitos não é suficiente para medir a eficiência do serviço público ou privado de saúde.

Interiorização da covid-19

Há um processo de interiorização do novo coronavírus no Estado da Paraíba, para evidenciar esse fenômeno, propõem-se as seguintes etapas:

• Análise da variação na quantidade de cidades que confirmaram seu primeiro caso de covid-19;
• Análise da participação dos casos confirmados dos 6 municípios mais afetados em relação aos novos casos de João Pessoas (epicentro da covid-19 no Estado);
• Por fim, análise da participação das regiões metropolitana de João Pessoa em relação ao resto dos municípios do estado e das zonas metropolitana de Campina Grande, Guarabira e Patos.

No gráfico abaixo é possível perceber a redução da participação dos casos confirmados para os municípios de João Pessoa, Santa Rita, Patos e Guarabira, e o aumento da participação de Campina Grande e Cabedelo.

Análise das Regiões Metropolitanas

O estudo propôs ainda uma análise da evolução da participação da região metropolitana de João Pessoa em relação aos demais municípios do Estado. Exatamente no dia 05 de junho, a zona metropolitana de João Pessoa passa a representar menos de 50% dos casos da Paraíba.

Além disso, usando uma análise comparativa da evolução da participação das zonas metropolitanas de Campina Grande, Guarabira e Patos. Nesse aspecto, fica evidente o aumento da participação do município de Campina Grande nos casos confirmados da covid-19, enquanto Guarabira se mantém no mesmo patamar e Patos reduz sua participação. Esse indicador ilustra o deslocamento, mesmo que gradual, dos novos casos da doença de João Pessoa e Patos para Campina Grande, sugerindo a possibilidade desse município ser o novo epicentro da covid-19 no Estado da Paraíba.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM