PARAÍBA

HR de Patos implanta serviço de informações à familias de pacientes com covid-19




Secom-PB

Desde quarta-feira (18), o Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro, de Patos, disponibilizou um novo serviço que possibilita os familiares acompanharem de forma mais próxima os pacientes internos com Covid-19. A Unidade de Comunicação Familiar (UCF) repassa as informações para as famílias sobre o estado de saúde destes pacientes de maneira mais eficiente e regular.

O isolamento necessário em casos de Covid-19 causa muita angústia em quem fica impossibilitado de acompanhar o doente de forma mais próxima. Por isso, o hospital de Patos buscou melhorar essa comunicação instituição/família. Antes da implantação da UCF, as informações do quadro e evolução dos pacientes eram repassadas de maneira presencial, pelo médico do setor Covid, que em determinado horário do dia cumpria essa rotina de forma individual com os familiares dos pacientes. Mas essa sistemática sofria reiteradas mudanças, porque em alguns momentos marcados, o médico tinha que atender uma intercorrência, atrasava e não tinha a regularidade que a unidade pretendia estabelecer. Além disso, os familiares de pacientes que não moram em Patos também ficavam com dificuldades de estar na unidade no horário marcado para poder participar deste momento diariamente.

A diretora geral do Complexo, Liliane Sena, explica que a implantação do novo serviço na unidade foi baseada numa experiência de sucesso do Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, em Santa Rita. “Já estávamos planejando aperfeiçoar essa rotina de repasse de informações para os familiares dos pacientes com Covid-19 e aí, diante dessa experiência exitosa do Metropolitano, a gente adaptou a iniciativa deles à nossa realidade e esperamos com isso melhorar esse fluxo de informações entre o hospital e as famílias dos pacientes”, destaca a diretora, lembrado que o serviço é restrito aos pacientes do isolamento, porque todos os demais podem ficar com acompanhantes.

A gerente assistencial do Complexo, Aretusa Delfino, adianta que a UCF vai atuar de domingo a domingo, com plantões diurnos, com a disponibilidade de um profissional plantonista que ficará, exclusivamente, com essa missão de levantar o histórico e quadro clínico de cada paciente, através de seu boletim médico, e ligar para as famílias e passar as informações mais atualizadas sobre a situação do paciente. “Acreditamos que com esse serviço a gente possa tanto tranquilizar os familiares, quanto os próprios pacientes, que ficarão mais seguros sabendo que seus parentes estão acompanhando com informações atualizadas o quadro e evolução clínica deles”, afirma Aretusa. Ela acrescenta que a equipe também poderá realizar chamadas virtuais de acordo com as condições de comunicação do paciente. “Vamos analisar caso a caso”, diz ela.

 
O responsável pela Coordenação da Clínica Médica do Complexo, o médico Diego Varela, reforça a importância desta ação. “A doença assusta porque há muita informação circulando sobre ela e nem sempre verdadeiras ou científicas; é uma enfermidade nova, que não tem antídoto específico que a combata, que tem vários casos de óbito, que evolui muitas vezes de forma bastante rápida e que deixa as pessoas em total isolamento, portanto, ao estabelecer esse canal de comunicação, o Complexo aperfeiçoa também seu serviço, uma vez que o torna ainda mais humanizado”, observa o médico.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM