GERAL | Lockdown

Comitê recomenda bloqueio total em Mossoró e Natal
O comitê lembra, no entanto, que não se trata de uma exigência, cabendo aos gestores estaduais e municipais a decisão de implantação do lockdown.




Prefeitura de Mossoró/Reprodução

Nesta quinta-feira (21), o Comitê Científico de Combate ao Coronavírus do Consórcio Nordeste publicou um boletim onde recomenda o aumento das medidas de isolamento e

lockdown em algumas cidades da região, reforço na criação de Brigadas Emergenciais de Saúde e testagem para Covid-19 e Dengue.

No documento, assinado pelos coordenadores Miguel Nicolelis e Sergio Rezende, entre as principais recomendações estão a adoção do bloqueio total em cidade que apresentam curva ascendente de casos e óbitos e ocupação de leitos de UTIs e/ou enfermarias superior a 80%.

A recomendação inclui as duas maiores cidades do Rio Grande do Norte, Natal e Mossoró, além de outras 5 cidades em diversos estados do Nordeste.

A medida já foi adotada em São Luiz, no Maranhão, em Fortaleza, no Ceará, e na Região Metropolitana do Recife, em Pernambuco.

Nesta quinta-feira (21) de acordo com a Sesap, Mossoró atingiu 97% de ocupação dos seus leitos. Dos 18 disponíveis, 17 estão sendo utilizados. Já na região de Natal, a ocupação 27 leitos estavam ocupados dos 28 do Hospital Giselda Trigueiro e 87% dos leitos SUS do Hospital Rio Grande.

O comitê lembra, no entanto, que não se trata de uma exigência, cabendo aos gestores estaduais e municipais a decisão de implantação do lockdown.

“Esta é uma recomendação científica para os governadores e prefeitos dos estados e cidades supracitados, cabendo a esses gestores decidir pela sua implementação ou não”, disse.

 
USO DA CLOROQUINA

Quanto ao uso da Cloroquina e Hidroxicloroquina no tratamento de pacientes infectados pela Covid-19, o comitê mantém sua posição contrário ao uso do medicamento simples ou em combinação com outros.

“Além de não haver nenhuma demonstração científica ou clínica crível da efetividade

terapêutica desses medicamentos, em qualquer estágio da infecção por Covid-19, os graves efeitos colaterais que podem advir do seu uso em pacientes portadores do Coronavírus, incluindo morte súbita por parada cardíaca irreversível, insuficiência hepática e renal, justificam plenamente a decisão deste Comitê. Na realidade, o uso desses medicamentos constitui conduta temerosa que pode pôr pacientes em risco de morte, sem oferecer nenhum benefício terapêutico comprovado”, disse o comitê em boletim.

AUMENTO DA TESTAGEM

O Comitê ainda recomenda o aumento da testagem tanto para Coronavírus como para a dengue, visto o aumento significativo da segunda doença nos estados do Nordeste.

De acordo com os cientistas, o elevado número de pacientes acometidos pela Dengue também pode contribuir para levar o sistema de saúde ao colapso nas próximas semanas.

“Para tanto, o Comitê solicita que os governos estaduais se informem sobre a disponibilidade prevista de testes para a dengue, uma vez que o aumento de casos dessa doença também contribuirá para a sobrecarga dos sistemas de saúde do Nordeste nas próximas semanas. No que tange ao Coronavírus, o Brasil continua sendo um dos países do G20 que menos testa sua população. Sem o uso de testes confiáveis, o combate à pandemia fica extremamente prejudicado”.

 




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM