PARAÍBA

Casos de profissionais de saúde com coronavírus sobem 703,7%
CRM-PB já recebeu mais de 60 queixas de médicos sobre problemas em todo o estado




Marcos Santos/Reprodução

Em um mês, o número de profissionais de saúde infectados pelo novo coronavírus na Paraíba saltou de 27 para 217, uma alta de 703,3%. O número de profissionais infectados representava 7,8% do total de 2.777 casos em todo o estado, até a tarde desta quarta (13).

Os dados do Boletim Epidemiológico semanal da Secretaria de Estado da Saúde (SES) mostram que este número vem crescendo a cada semana, e no período entre 14 de abril e 12 de maio, os casos aumentaram mais de oito vezes. A quantidade de infectados no estado, nesse mesmo período, subiu de 136 para 2.156, o que representa um crescimento de mais de 15 vezes.

Acompanhe gráficos e curva de contágio do coronavírus na PB



“Estamos em uma curva ascendente do número de pessoas acometidas pela Covid-19 em nosso estado. Os profissionais de saúde estão na linha de frente e precisam de estrutura adequada e equipamentos de segurança das unidades de saúde para atenderem bem os pacientes e não serem contaminados. Quanto mais médicos infectados, menos profissionais teremos para enfrentar essa batalha”, destaca o presidente do CRM-PB, Roberto Magliano. Ele foi um dos médicos infectados pelo novo coronavírus e está entre os mais de 600 paraibanos recuperados.

 
Desde o dia 30 de março, através de uma plataforma de denúncias online sobre as falhas na infraestrutura de trabalho, o CRM-PB já recebeu mais de 60 queixas de médicos sobre problemas no processo de triagem, falta de Equipamentos Individuais de Proteção (EPIs), insumos, exames e medicamentos, material para higienização e recursos humanos. Até o momento, foram recebidas denúncias de unidades de saúde de João Pessoa, Santa Rita, Bonito de Santa Fé, Mamanguape, Campina Grande, São Bento, Pitimbu, Guarabira, Bayeux, Itaporanga e Patos.

Sobre os EPIs, os médicos de algumas unidades relataram falta de avental, máscara cirúrgica, máscara n95 ou equivalente, óculos ou protetor facial, luvas cirúrgicas, gorros, luvas, além da escassez de insumos, como medicamentos, kits de exames para Covid-19, acesso a exames de imagem, material para curativos e peças educativos, como cartazes e folders. Profissionais também informaram que há unidades sem abastecimento de álcool a 70% e em gel, papel toalha, sabonete líquido e desinfetante ou outro insumo recomendado. Sobre os recursos humanos, há denúncias de falta de médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, profissionais de limpeza e cozinha.

Médicos Contra o Coronavírus

Para verificar as denúncias, o CRM-PB informou que, através da campanha Médicos Contra o Coronavírus, tem visitado hospitais e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) no estado para verificar a quantidade de EPIs, respiradores, leitos e profissionais de saúde, como está sendo feito o fluxo de pacientes e alertando aos médicos sobre a necessidade de notificação de todos os casos de síndrome respiratória, mesmo as leves e moderadas.

Segundo o CRM-PB, já foram visitadas unidades de saúde das cidades de João Pessoa, Bayeux, Santa Rita, Cajazeiras, Patos, Sousa, Pombal, Monteiro, Sumé, Serra Branca, Cuité, Picuí, Nova Floresta e Campina Grande.

Denúncias

Os médicos do estado podem ainda fazer denúncias através do canal criado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), pela internet. Na plataforma (sistemas.cfm.org.br/fiscalizacaocovid/), podem ser informadas as falhas identificadas pelos médicos nos seus locais de trabalho.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM






PARAÍBA  |  30/05/2020 - 03h