GERAL

Prefeitura e Estado devem mais de 4 milhões aos médicos de Mossoró




Reprodução

A Prefeitura de Mossoró deve os meses de outubro, novembro e dezembro de 2019 aos médicos da Clínica de Anestesiologia de Mossoró (CAM), Núcleo de Ginecologia e Obstetrícia de Mossoró (NGO) e Neo Clínica SS (Neo). Estes profissionais receberam os valores referentes aos meses de 2020.

Já o Governo do Estado deve valores referente aos meses dezembro de 2019, janeiro, fevereiro, março e abril de 2020 a Cooperativa dos Clínicos Gerais (SAMA), Cooperativa dos Fisioterapeutas (COOPERFÍSIO), CAM, NGO e Neo.

Somando tudo, o montante devido aos médicos pelo Governo do Estado e Prefeitura de Mossoró passa de R$ 4 milhões.

De acordo com os representantes das empresas citadas, os médicos ainda não pararam em consideração ao momento caótico gerado pelo coronavírus.

Sobre as dívidas, a Prefeitura de Mossoró emitiu uma nota informando que está negociando com os médicos a conclusão dos pagamentos e que, devido ao fato de o processo ter sido judicializados, vai apresentar proposta para quitar os valores.

O MOSSORÓ HOJE também entrou em contato com a Sesap que afirmou que não há registro de débitos em aberto com as referidas empresas do ano de 2019. Quanto a 2020, há uma ordem de pagamento para o mês de fevereiro, enquanto março e abril a Sesap ainda não recebeu as faturas.

VEJA NOTAS NA ÍNTEGRA:

Nota de esclarecimento (Prefeitura de Mossoró)

A Prefeitura de Mossoró informa que está em fase de negociação com os médicos que prestam serviço por meio da Neoclínica para concluir os pagamentos do contrato anterior. Como o processo foi judicializado, a Prefeitura vai apresentar proposta para quitar os valores.

Sobre o exercício 2020, o Município esclarece que foram pagos os meses de janeiro e fevereiro, estando em processo de pagamento o mês de março, cumprindo os prazos estabelecidos com apresentação de nota de faturamento dos serviços prestados.

A Prefeitura reitera o esforço para cumprir com todos os compromissos firmados, mesmo em um período de redução nas receitas e crise enfrentada nas contas públicas.

Nota de Esclarecimento (Governo do Estado)

As clínicas/empresas/cooperativas citadas prestam serviços a SESAP na cidade de Mossoró no Hospital Regional Tarcísio Maia e na APAMIM. Existem faturas em aberto para pagamento referentes a competência fevereiro/2020, já com ordens bancárias emitidas para envio ao banco, dependendo tão somente de repasses financeiros, que ocorrerão durante o mês de maio. Não há registro de atrasos, na Coordenação Financeira da SESAP referente a o mês de dezembro 2019.

Quanto a competência março a Coordenação financeira ainda não recebeu nenhuma fatura, pelo que supõe-se que encontra-se em tramitação nas demais áreas afetas na SESAP.

Não se há de falar em abril, visto que as prestadoras ainda não apresentaram as respectivas faturas.

Quanto a prestadora Núcleo de Obstetrícia e Ginecologia de Mossoró, não há nenhuma fatura no âmbito da Coordenação financeira.

Os débitos apresentam-se desta forma:

Referente aos serviços junto ao Hosp Tarcísio Maia

SAMA – R$ 299.372,80

COOPERFÍSIO – R$ 35.896,00

NEO – R$ 109.875,20

CAM – R$ 123.120,00

Referente aos serviços junto a APAMIM

SAMA – R$ 126.927,20

COOPERFÍSIO – R$ 43.500,00

NEO – R$ 297.717,96




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM