GENTE | VEJA VÍDEO

Mulher é algemada por não respeitar distância mínima em fila de banco
Ela foi liberada após assinar um termo por desobediência e crime contra a saúde pública. Distância mínima de 1,5 metro entre as pessoas foi estipulada pela prefeitura.




Reprodução

Uma mulher acabou algemada na porta de uma agência bancária por desobedecer em duas ocasiões o decreto municipal que ordena distância mínima de 1,5 metro entre pessoas que estiverem em filas, em Caldas Novas, no sul goiano. A ordem de distanciamento tem o objetivo de evitar a contaminação pelo coronavírus.

Como a identidade da mulher não foi divulgada, a reportagem não conseguiu localizá-la para que se posicionasse sobre o caso, que aconteceu na segunda-feira (30).

Clientes da agência denunciaram a atitude da mulher para a Vigilância Sanitária. Diante da resistência dela em não manter a distância necessária, a Polícia Militar compareceu à agência bancária.

A cliente alegou aos policiais mal-estar no momento da abordagem. Os militares pediram socorro médico ao Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Após melhorar, a mulher voltou a desobedecer a distância entre os clientes estipulada pelo município. Os policiais precisaram de algemas para conter a cliente.

A mulher foi liberada após assinar um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) com a Polícia Militar por desobediência e crime contra a saúde pública.

"Não houve agressão física contra nenhum policial, mas ela precisou assinar o termo circunstanciado para ser liberada por causa da desobediência recorrente", esclarece o sargento Lucas Oliveira


Confira o vídeo:






COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM