Veja Também

Banner noticia interna

Veja Também
Pastor alerta cristãos que assistem novelas
PDF | Imprimir | E-mail
Qua, 11 de Janeiro de 2017 15:57

O pastor Leonardo Capochim acredita que as novelas doutrinam a sociedade sobre como enxergar alguns assuntos

A novela ainda é uma plataforma gigantesca que influencia o Brasil. Está presente na moda, nas novas gírias, na nova sandália que será lançada. Ultrapassando os muros do país, o produto tem sido exportado para diversos outras nações. Avenida Brasil, por exemplo, de João Emanuel Carneio, foi vendida para 130 países e dublada em 19 idiomas.

FamiliaTV

Para conversar sobre o assunto, Cássio Miranda, apresentador do programa Bate-Papo (Rede Super), convidou os pastores Rossi Lamounier e Leonardo Capochim, responsável pelo Seminário Teológico Carisma em Belo Horizonte.

"Eu vejo que nem sempre é saudável e na maioria das vezes, na maioria dos casos que eu já conversei, muitas vezes a gente acompanha e aconselha, tem trazido muita destruição para as famílias”, iniciou Leonardo.

O pastor Rossi Lamounier complementa: “A telenovela começa na década de 50, na rede Tupi. Então ela está bem enraizada na nossa cultura. Ela faz parte do que a gente chama de cultura popular que é qualquer manifestação, seja folclore, música, arte, dança, onde a sociedade participa de forma ativa”, ressaltou.

“A novela imita a vida?”

A palavra retorna para Leonardo que responde a pergunta de uma espectadora: “Ao mesmo tempo que a novela imita a vida, a vida imita a novela. Ao mesmo tempo que eles querem trazer aquilo que acontece na sociedade, eles também vão implantando a maneira como eles enxergam esse assunto na sociedade. Uma coisa é eu trazer a discussão, o fato. Outra coisa é eu trazer esse princípio já com a maneira como eu enxergo. É uma doutrinação”, disse.

O pastor aprofunda seu argumento: “Ela [a novela] não apenas mostra como a sociedade enxerga um assunto, mas ela quer doutrinar a sociedade a como enxergar esse assunto. Você pode perceber que o assunto do divórcio é muito abordado. Principalmente na década de 90, esse assunto era muito corriqueiro nas novelas, nos filmes e ela foi doutrinando a maneira como as pessoas viam o divórcio. Aquilo que era um tabu, deixou de ser um tabu para se tornar exatamente o que as novelas diziam”, alertou.

“As novelas ajudaram a banalizar o relacionamento de pais e filhos. Sempre mostrando que o filho rebelde estava certo no final, porque o pai não pensava da maneira como ele pensava, o mundo tinha mudado. Então, tudo isso veio desconstruir muitos valores na sociedade. Porque infelizmente, nem todo mundo tem uma mentalidade, uma mente firme para assistir essas coisas e não ser contaminada por elas”, pontuou.

Confira o debate na íntegra:

Compartilhe:

Comentário

Compartilhe sua opinião sobre a publicação. Deixe sua mensagem abaixo:

Código de segurança
Atualizar

Sua opinião é importante! Este espaço visa dar a você, leitor, uma oportunidade para que você possa expressar sua opiniões de forma coesa e clara sobre o fato abordado nesta página.

É importante salientar, que as opiniões expostas neste espaço, não necessariamente condizem com a opinião do portal COFEMAC.

  • PMPJM 2
  • Corretor
  • Batatinha
  • Unaclin
  • Ricardo Morais
  • Betanio
  • Tata
  • Anderline
  • Cofemac
  • Expediente
  • Anuncie
  • Contato
  • ---