Notícias

Banner noticia interna

Política
Eleito em Triunfo não toma posse e município fica sem prefeito
PDF | Imprimir | E-mail
Seg, 02 de Janeiro de 2017 17:19

A cidade de Triunfo, no Sertão paraibano, está sem prefeito. O gestor eleito, José Mangueira (PTB) não tomou posse do cargo por conta de divergências com a atual mesa diretora da Câmara de Vereadores. Enquanto isso, o presidente interino da câmara e o ex-prefeito - primo do gestor eleito - relatam preocupação com supostas manobras e irregularidades. O prefeito eleito não atendeu às ligações do G1.

triunfo-prefeitura52

De acordo com o presidente interino da câmara, Fagner Lisboa (PSB), o prefeito eleito tem discordado de uma modificação feita pelos parlamentares no regimento da casa, no tocante ao processo eleitoral para escolher o novo presidente que vai administrar o poder legislativo do município.

O parlamentar, que é o único candidato à presidência da câmara para o próximo biênio, garante que o regimento foi modificado legalmente e acusou os vereadores aliados ao prefeito eleito de faltar às sessões da casa para impedir a homologação da nova mesa diretora.

“Os vereadores perderam o prazo de inscrição de chapas, que era de cinco dias e que foi votado por unanimidade, dentro da legalidade. Só nós (oposição) inscrevemos a chapa única. Nós temos tudo regular, as cópias da atas, eles estão querendo ganhar tempo para tentar alguma manobra”, afirmou Fagner Lisboa.

O parlamentar já convocou duas sessões nos últimos dias, mas como a cidade tem nove vereadores e apenas quatro são da situação, as reuniões foram encerradas por falta de quorum.

O ex-prefeito Damísio Mangueira, que encerrou sua gestão em 2016 e é primo do prefeito eleito, defendeu José Mangueira (PTB). Segundo ele, houve irregularidades na mudança do regimento da câmara municipal. “Fizeram uma emenda sem respeitar os trâmites legais para mudar os registros de chapa”, afirmou.

Prefeito de Triunfo por três mandatos, Damísio não descartou que o prefeito eleito acione a Justiça para tomar posse. “Falamos com autoridades judiciais e indicaram que o mais adequado seria tentar tomar posse através de um mandado de segurança, o prefeito está analisando e vai tomar a melhor decisão”, finalizou Damísio Mangueira.

Em 2016, Zé Mangueira venceu as eleições municipais de Tiunfo com 2.867 votos, ante 2.700 do segundo colocado José Carlos (PSB). Uma diferença de apenas 167 votos.

G1

Compartilhe:

Comentário

Compartilhe sua opinião sobre a publicação. Deixe sua mensagem abaixo:

Código de segurança
Atualizar

Sua opinião é importante! Este espaço visa dar a você, leitor, uma oportunidade para que você possa expressar sua opiniões de forma coesa e clara sobre o fato abordado nesta página.

É importante salientar, que as opiniões expostas neste espaço, não necessariamente condizem com a opinião do portal COFEMAC.

  • PMPJM 2
  • Corretor
  • Batatinha
  • Unaclin
  • Ricardo Morais
  • Betanio
  • Tata
  • Anderline
  • Herbalife
  • Cofemac
  • Expediente
  • Anuncie
  • Contato
  • 9999---