Notícias

Banner noticia interna

Notícia Destaque I
Mídia nacional lembra cassação de Cássio e PT detona paraibano
PDF | Imprimir | E-mail
Dom, 05 de Julho de 2015 08:58

Estava demorando. As estocadas do senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) contra o governo da presidente Dilma Rousseff (PT) tiveram um contra-ataque neste final de semana. Primeiro foi o site Brasil 247, que tem sede em Brasília e acompanha os bastidores do poder, a lembrar a cassação de Cássio e levantar questionamentos sobre a autoridade do senador paraibano quando defende o impeachment da Presidente Dilma.

Cassio_Careta

A matéria relembrou o processo que culminou com a perda do mandato de Governador da Paraíba por parte de Cássio e afirmou que, mesmo com a ‘ficha suja’, o paraibano passou a defender a perda do mandato da presidente através de um processo de impeachment. A matéria parece que estimulou o PT e até mesmo agências de notícias, que vieram fortes neste sábado.

No site do PT Nacional, a manchete foi pesada: “Tucano cassado e com passado ‘ficha suja’ estimula golpe contra Dilma”. De propósito, eu abri esta matéria aqui no Blog Carlos Magno dizendo ‘estava demorando’, porque, como eu mesmo já fiz referência, Cássio entrava na onda de críticas a Dilma e afirmava, ele próprio, não ter receio de que seu passado viesse à tona, quando começasse as críticas.

As agências de notícias não demoraram e, no próprio sábado, começaram a repercutir a “lembrança” do PT sobre a cassação de Cássio. “A postura do tucano em pedir a destituição de Dilma do poder é questionada no meio político, que relembra o passado manchado por condenações na Justiça”, diz matéria distribuída pela Agência Brasil de Notícias, repercutindo o que foi publicado no site do PT Nacional.

Eis o texto, na íntegra:

Tucano cassado e com passado “ficha suja” estimula golpe contra Dilma

O senador Cássio Cunha Lima (PSDB) é um dos responsáveis por encampar uma campanha ferrenha contra a presidenta Dilma Rousseff. A tentativa de instaurar um golpe contra o governo do PT está cada vez mais acirrada; e inclui ameaças na internet. A postura do tucano em pedir a destituição de Dilma do poder é questionada no meio político, que relembra o passado manchado por condenações na Justiça.

Cunha Lima teve o mandato de governador da Paraíba cassado em 2009 pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Na época, pesou contra o tucano acusações de compra de votos. O senador foi responsabilizado pela distribuição de 35 mil cheques de R$ 150 e R$ 200 para pessoas carentes durante o período das eleições de 2006. Os valores distribuídos somavam aproximadamente R$ 3,5 milhões, segundo a denúncia.

O deputado Luiz Couto (PT-PB), o tucano é imprudente ao atacar a presidenta. “Na realidade, quem entende de cassação é Cássio”.

“Não existe nada com relação a nossa presidenta! Eles estão tentando agora encontrar um boi de piranha, mas não vão conseguir. Podem falar, porque é um direito que cada um tem, agora a Justiça não vai nessa conversa fiada da oposição”, assegurou.

Devido à cassação, Cunha Lima entrou para a lista dos candidatos “fichas suja”. Entretanto, conseguiu se eleger ao senado em 2010 porque o Supremo Tribunal Federal (STF) entendeu, à época, que a Lei da Ficha Limpa não teria validade para aquelas eleições.

Em 2014, mais uma vez sua candidatura ao governo da Paraíba foi questionada pela Justiça Eleitoral. O tucano, no entanto, conseguiu novamente o direito de disputar as eleições, sendo derrotado por Ricardo Coutinho (PSB). Agência Brasil.

COFEMAC / / UOL

Compartilhe:

Comentário

Compartilhe sua opinião sobre a publicação. Deixe sua mensagem abaixo:

Código de segurança
Atualizar

Sua opinião é importante! Este espaço visa dar a você, leitor, uma oportunidade para que você possa expressar sua opiniões de forma coesa e clara sobre o fato abordado nesta página.

É importante salientar, que as opiniões expostas neste espaço, não necessariamente condizem com a opinião do portal COFEMAC.

  • PMPJM 2
  • Corretor
  • Batatinha
  • Unaclin
  • Ricardo Morais
  • Betanio
  • Tata
  • Anderline
  • Herbalife
  • Cofemac
  • Expediente
  • Anuncie
  • Contato
  • 9999---